RACISMO RELIGIOSO

Racismo religioso não existe.

Segundo o IBGE 2010, a maioria evangélica é parda/negra, e muito superior em quantidade aos afro-brasileiros. Somente isso já basta para mostrar que ele não existe. Veja os dados do IBGE:

IBGE 2010 - evangelicos pretos e pardos

AS LEIS

Pessoas desinformadas, mal orientadas, ou de má fé, querem manipular a opinião pública para que acreditam em um conceito que não existe nas Leis Brasileiras.

Abram os links das Leis, teclem control+F, e na janela de busca busquem por “racismo religioso”. Verão que não existe esta expressão no texto das Leis: 

7.716/89 –  Trata do preconceito de raça, cor, etnia, religião, ou origem.

12.288/10 – Estatuto da Igualdade Racial

 

O QUE EXISTE ENTÃO?

O que existe é o fundamentalismo evangélico contra a obra do mal no qual os evangélicos, por não saberem separar as religiões de matrizes africanas que visam a prática do bem, da prática de feitiçaria que visa o mal, incluem, assim, a todos, generalizando os segmentos religiosos afro-brasileiros como feitiçaria e bruxaria do diabo.

 

Anúncios

Seleção de Artigos